quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Na escola pública, maioria não tolera diferenças


Na escola pública, maioria não tolera diferenças



Pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômics (FIPE) aponta que a maioria dos professores, pais, diretores e estudantes das escolas públicas tem algum tipo de preconceito contra pessoas consideradas "diferentes".

São cerca de 95,8% dos diretores e professores, 99,1% dos pais e 99,4% dos estudantes aqueles que tem algum tipo de preconceito, seja contra portadores de necessidades especiais, contra pessoas de grupos étnico-raciais diferentes do seu, de gênero, contra pessoas mais velhas ou mais novas, contra pobres, pessoas oriundas de outros lugares ou de orientação sexual diferenciada.

Mais detalhes da pesquisa foram publicados na revista "Nova Escola" do mês de setembro e você vê
aqui

Sem dúvida, está ai o retrato do preconceito em um ambiente em que não deveria existir, no caso a escola. Cabe aos gestores, às instituições formadoras de professores, aos movimentos sociais e aos profissionais comprometidos com o respeito à diversidade e aos direitos humanos lutar contra esta chaga social, que é o preconceito.

Com a palavra, todos nós!

Nenhum comentário:

Postar um comentário