terça-feira, 17 de novembro de 2009

Escolas paulistas substituem livros didáticos do MEC por apostilas de escolas privadas


Cresce a cada dia o controle das redes públicas de ensino no estado de São Paulo por grandes redes de ensino privadas.

Segundo matéria do "Valor Econômico", publicada no Blog do Luiz Favre, grupos como COC, Positivo, Anglo e Objetivo passaram a conduzir e assessorar as redes escolares paulistas e já são responsáveis por um terço dos estudantes, expressando uma nova orientação da política educacional paulista, sob o comando do ex-Ministro da Educação, Paulo Renato de Souza.

Enquando o MEC seleciona livros e disponibiliza para que os professores possam escolher dentre eles, o modelo paulista radicaliza na padronização do material didático, entregando redes inteiras ao controle de um grupo de ensino privado.

Ao invés de um livro, surgem as "apostilas", consideradas pelo críticos, como um sistema "rígido e reducionista", que acaba com a autonomia do professor.

Mais detalhes sobre a matéria você encontra aqui