quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

PT: 33 anos

Durante todo o mês de fevereiro estão se realizando as comemorações de aniversário do Partido dos Trabalhadores – PT. Em 2013, comemora-se também dez anos de governo democrático e popular no Brasil, que começou com a eleição do presidente Lula em 2003 e prossegue, atualmente, com a gestão de Dilma Roussef. Fundado em 1980, o PT surge a partir das aspirações de militantes da esquerda clássica, das comunidades eclesiais de base e do movimento sindical com o intuito de pautar na política nacional os interesses da classes trabalhadora, espremida pela ditadura militar e seu modelo concentrador de renda e pelo arrocho salarial que levou às greves do ABC paulista e o surgimento do chamado “novo sindicalismo”. Inicialmente avesso a alianças e com uma plataforma de transformações profundas na sociedade brasileira, o PT cresceu em meio à crise do chamado “socialismo realmente existente” do leste europeu, à queda da URSS e a retomada da democracia brasileira, impulsionada pelos movimentos de massa. Desde os anos 1980, com avanços e retrocessos, a classe trabalhadora brasileira seguiu a estratégia do movimento trabalhista internacional, optando por um caminho reformista, afastando-se da visão radical que fundou o movimento socialista. Passados dez anos de governo encabeçado pelo PT, verificamos a persistência de problemas agudos na sociedade brasileira, a exemplo das desigualdades sociais e regionais (embora em queda) e de ranços patrimonialistas na administração pública. É inegável, todavia, a melhora geral das condições de vida da maioria do povo, decorrente da opção do governo federal por uma estratégia keynesiana/desenvolvimentista, da prioridade à expansão do mercado interno e da ampliação do gasto social. Esta é a principal herança dos governos petistas. A opção por um caminho pragmático (tomada no final dos anos 1990) afastou o PT de um imaginário radical, perdendo certo verniz revolucionário. Porém, aproximou o partido da condição de “príncipe”, na linguagem maquiavélica, capaz de liderar a nação em torno de um projeto de desenvolvimento com relativa coesão social. *Publicado no Correio da Paraíba em 21/02/2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário